Header Ad Widget

Construir uma comunidade saudável e menos tóxica nos games, a EA quer ajudar a corrigir isso.



A Electronic Arts realizou recentemente sua primeira reunião chamada de Building Healthy Communities Summit (Construindo Comunidades Saudáveis) com mais de 200 influenciadores de jogos, os chamados de Game Changers, para discutir o problema da toxidade nos jogos. E nós do Battlefield Brasil participamos =).

Sentados na sala de conferências em Los Angeles, o chefe de envolvimento da EA, Adam Tanielian , perguntou à sala cheia de influenciadores se algum deles tinha visto ou sido alvo de intimidação ou assédio online. Quase todos levantaram as mãos.

"É uma coisa muito ruim", disse Tanielian.

No decorrer do encontro, a EA conversou sobre como planeja combater esse problema. A produtora começará a divulgar relatórios regulares sobre a saúde de suas comunidades online. Irá oferecer novas ferramentas aos jogadores para ajudar a reduzir a toxicidade. E vai reunir um conselho de jogadores para discutir regularmente essas questões e o que a empresa pode fazer a respeito.

A EA disse que também quer inspirar seus jogadores a ajudarem na mudança, por isso estávamos lá. Isso inclui ouvir sobre o comportamento positivo dos influenciadores.

"Vocês têm muito poder para tentar resolver alguns desses problemas, ou pelo menos fornecer soluções", disse Tanielian.

Chris Bruzzo, da EA, disse que a empresa se sente responsável por trabalhar nessas questões.

Há também organizações como a Fair Play Alliance, e outras empresas que trabalham para incentivar comunidades saudáveis. E há organizações sem fins lucrativos anti-bullying, como a Ditch The Label , que a EA apoia financeiramente, que promovem a igualdade e estudam os efeitos do comportamento tóxico.

"O bullying é real e tem consequências reais e devastadoras", disse Liam Hackett , diretor da Ditch The Label, que falou no evento.

Ele disse que os dados do Ditch The Label descobriram que uma em cada 10 vítimas de bullying considerou o suicídio e que uma em cada cinco pessoas desistiu de um jogo por causa de como eles são tratados por outros jogadores.


Brittney Brombacher , co-fundadora do podcast What's Good Games , disse no encontro que o mau comportamento também pode se construir e afetar a comunidade. "Toxicidade gera toxicidade", disse ela.

Alguns influencers também disseram que estão frustrados com o incessante assédio de outros jogadores, já que também são alvo de jogadores tóxicos. Algumas pessoas, em particular, tentam enfraquecê-las em um jogo, por exemplo, acusando-as de ser hacker.

Encontrar soluções

Por enquanto, a EA está focada em iniciar conversas. Realizou o Building Healthy Communities Summit antes da EA Play com os Game Changers, e fez esses compromissos para liberar pesquisa e construir ferramentas para combater a toxicidade.

A EA também planeja se reunir com outras empresas para trocar idéias e trabalhar com os próprios jogadores para criar recursos e regras para ajudar a reduzir esses problemas.

Enfim, para começar a construir uma comunidade mais saudável, a iniciativa deve partir de nós, amante dos games. Um bom início é acolher novos jogadores que ainda não estão familiarizados com o jogo e educar os haters.

Comentários

Notícia Anterior Próxima Notícia