Call of Duty WW2 vs Battlefield 1 - Qual o melhor?


Uma bala no seu rifle, dois alvos na sua frente. Sua mira fica entre Battlefield 1 e Call of Duty WW2. Você puxa o gatilho, mas qual deles cai?

Quando foi anunciado que Battlefield iria para a I Guerra Mundial, após anos de vários jogos de tiros militares modernos, foi como se estivesse estacionado tanques armados até os dentes no quintal de Call of Duty. Afinal de contas, o COD que começou com jogos de Guerra Mundial.

A emboscada história deixou o COD com o pé atrás, e não demorou muito para eles anunciarem que o próximo Call of Duty retornaria para a II Guerra Mundial.

E agora temos dois jogos de duas franquias bem sucedidas que se passam em Guerras Mundias. Mas qual deles é o melhor: Call of Duty WW2 ou Battlefield 1?


Bem vindo ao Esquadrão

As campanhas de Call of Duty sempre foram explosivas. Uma pipoca para os olhos (e mãos). Nisso, o jogo entrega o que foi prometido. Vê aquele olhar que parece estar longe e assombrado no soldado na capa do jogo? Esse é o mais próximo que Call of Duty WW2 vai chegar da fria realidade de uma campanha que é agradável mas esquecível assim como é genérica. Pegue todos os clichês de Band of Brothers e todos os diálogos onde o comandante grita com os soldados e parabéns, você acabou de de escrever o script para o modo história de COD.

Com o velho e bom protagonista narrando um grupo de soldados dos Estados Unidos durante a II Guerra Mundial. Há missões furtivas, de dirigir, de sniper e de perseguição. O único momento que faltou foi você abrir uma porta lentamente enquanto mata os inimigos com uma espingarda. Existem alguns conceitos de jogabilidade que até são legais (se infiltrar em um quartel general Alemão e ter que memorizar seus dados falsos, por exemplo).

Mas é uma Guerra Mundial. E Call of Duty nunca é isso na verdade, com aqueles estereótipos americanos roubando a cena no momento da invasão da Normandia. Claro, existe uma pequena participação dos Britânicos e da Resistência Francesa, mas estamos indo a fundo no território de Spielberg.

Battlefield 1 já vai para um caminho diferente. Você irá se juntar a várias forças aliadas enquanto luta em seis batalhas chaves da I Guerra Mundial. Isso da mais liberdade narrativa e de jogabilidade, alternar entre os campos Franceses ensopados de sangue para o ensolarado deserto da Arábia nos deixa experimentar a amplitude real da guerra que acabaria com todas as guerras. (Spoiler: Não acabou).

A campanha de Battlefield é, essencialmente, um garoto heroico em suas aventuras durante a Grande Guerra. Arrancado amorosamente direto das páginas do Commando, sem retirar as tragédias. O estilo cria algo único. Call of Duty falha até mesmo em reunir a atitude de Os Doze Condenados, muito menos Bastardos Inglórios.

Battlefield 1 sai na frente.


Carregar, Preparar, e Upar

Call of Duty WW2 é para todos que pularam no vagão do ódio do COD após Black Ops II, um jogo que, como Resident Evil 4, foi tão bom que imediatamente corrompeu seu sucessor. Enfim, parece que haviam bem poucos jet-packs e soldados que correm pelas paredes na II Guerra Mundial, voltamos ao combate com as botas no chão.

É um terreno familiar e viciante enquanto você upa tanto seu soldado quanto suas armas para desbloquear melhores equipamentos, killstreaks, acessórios e Insígnias. WW2 também introduz customizações no estilo do jogo: Divisões. Selecione e jogue com uma classe e você será recompensado com habilidades e acessórios de armas adicionais. Essas Divisões são acomodadas em comparação ao rígido sistema de classe de Battlefield 1, na qual você pode usar apenas um certos tipos de armas e acessórios, e o seu estilo de jogo precisa estar igualado a classe que você está jogando.

Porem, há um elemento estratégico mais profundo hoje no cenário dos FPS. Como no meta de Overwtach ou no end-game de Destiny, no qual Battlefield, com suas ênfases existentes  na física do mundo real, se encaixa perfeitamente. Diferente de sua contraparte arcade, sentar o dedo no gatilho raramente é efetivo em um jogo tático onde a precisão depende de você saber o dano que seu rifle causa e até mesmo a sniper requer uma mira de variação para dar o headshot perfeito. Os tanques passam pelas cidades, destruindo qualquer construção em seu caminho, aviões batalham no ar e as armas antiaéreas enchem o céu com tiros, enquanto 64 jogadores vagam pelos vastos mapas com o dedo do gatilho coçando. Isso força uma evolução no estilo do jogo, não apenas você ficar atendo aos cantos, mas olhar o que está acontecendo no mapa inteiro. Você precisa se equipar para ser capaz de destruir tanques que podem acabar com sua equipe? Você deve se arriscar em cruzar o campo aberto quando há a possibilidade de um sniper estar mirando na sua cabeça naquele exato momento?

Essa camada extra não é tão evidente em Call of Duty WW2, o jogo tem foco no puro corra e mate, a simplicidade arcade que fez o COD ser o que é hoje. Você irá correr pelos habituais mapas de três caminhos, um mundo destruído pela violência, e seu único objetivo é matar qualquer coisa que se mova. Os mapas são pequenos com 6 jogadores de cada lado, algo totalmente diferente de Battlefield 1. Se você acha que é frustante morrer para um sniper no outro lado do mapa em Gustav's Cannon, espere até morrer em Monte Grapa de Battlefield 1. Você nem verá de onde veio o tiro.

É uma questão de ritmo. O multiplayer de tirar o fôlego de WW2 é recompensante, sempre focando em liberar os killstreaks, é pura adrenalina. Já em Battlefield, o jogo é altamente focado em precisão e controle.

Todos ganham uma medalha.


Acessórios Adiconais

Você zerou as campanhas e já jogou o TDM e Conquest. O que mais resta para você testar?

As famosas Loot Boxes, é claro. Ou Pacotes de Batalha, ou Supply Drops. Enfim, o que você quiser chamar. As loot boxes já chegaram sob fogo, desde que você abra elas em seu QG (quando funciona), assim todos podem ver aquela empunhadura de pistola que literalmente ninguém, nem você, vai ver. Exatamente como na guerra de verdade. Os Pacotes de Batalha de Battlefield 1 são um pouco mais equilibrados, mas isso é apenas porque o jogo foi lançado ano passado, antes dos estúdios realmente aprenderem a como "aumentar o engajamento dos jogadores", ou "lucrar ao máximo sem vergonha alguma", dependendo para quem você perguntar.

Desafios existem em ambos os jogos, oferecendo objetivos pessoais e desbloqueios mais avançados, mas quando se trata de modos de jogo, é irônico que Battlefield 1, com sua grande escola, possua um alcance limitado. Existem oito modos de jogo diferentes, com as Operações sendo o ponto forte. Aqui, você ataca ou defende pontos espalhados pelos mapas, em um jogo de puxa e empurra que faz com que os inimigos avancem ou recuem até que todos os setores sejam capturados. Essa é a escala total das batalhas épicas de Battlefield.

Todos os modos de jogo de sempre retornam para WW2 (Kill Confirmed, Search and Destroy, Domination, e assim vai), com uma grande adição: War Mode. Esse é o modo de jogo com a narrativa conduzida cabo-de-guerra, no qual você joga em momentos reais da II Guerra Mundial, como o Dia-D. Com uma grande semelhança ao modo Operations de BF1, War Mode remove o estilo lobo solitário vagando no TDM em favor de um bom trabalho em equipe. Apenas
isso já cria um novo destaque viciante para o jogo.

E logo quando parecia que nenhum deles iria ganhar, WW2 chega e coloca zumbis nazistas na mistura, e acaba o jogo para Battlefield 1. Porque se tem algo melhor que matar nazistas ou zumbis, é matar hordas de zumbis nazistas.

Call of Duty WW2 faz chover sangue em cima de Battlefield 1.


Declaração de Guerra

Rufem os tambores, é a passeata da vitória

Esses são os dois melhores jogos de tiro militares do momento. Se tratando de gráfico, ambos são incríveis (com Call of Duty tendo alguns momentos foto realísticos incríveis), e se tratando da qualidade sonora, os dois são de primeira mão. O autentico barulho das armas e o 'rugido' dos tanques enquanto seu esquadrão ataca as posições inimigas ajuda na imersão.

Call of Duty WW2 prova que a guerra nunca muda. É um jogo que nos da tudo que pedimos, mas nada que não sabíamos que queríamos. Sem fogos de artifícios, sem desastres. Dando um oportunidade de ouro de reinventar os jogos de tiro da II Guerra Mundial, exatamente como foi feito em 2003.

Um grande diferença da ousadia de Battlefield 1, mudar para a I Guerra Mundial, uma decisão que muitos jogadores ficaram surpresos. Com um estilo de abertura de documentário, Battlefield 1 provou que podia, e entregou o que Call of Duty não pôde, uma nova experiência da devastação da guerra.


Porque até mesmo a mais longa partida de Call of Duty seria apenas pequeno conflito em Battlefield 1, enquanto você espera que seu esquadrão siga o objetivo. O multiplayer de Call of Duty WW2 é astuto com estética em tempo de guerra, já Battlefield 1 captura verdadeiramente o estado maníaco da guerra total.

Battlefield 1 - Para o vencedor, as recompensas.

Análise: www.vg247.com

Para mais informações sobre Battlefield 1 e outros jogos da série fique ligado no nosso site e nas redes sociais.


Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.